27 fevereiro 2018

Altered Carbon - Primeira Temporada

Altered Carbon – Primeira Temporada: Crítica até onde consegui ver.

   




Se existe uma coisa que a Netflix sabe fazer é propaganda das suas séries, o que acaba nos deixando com uma tremenda vontade de assistir.
Disto isto, o que é essa série afinal?
Num futuro distante, aquele velho ditado que “a única certeza que nós temos é a morte” ACABOU!
Um dispositivo eletrônico fixado na base de sua nuca armazena todas as suas características pessoais e habilidades. Se o seu corpo morrer, basta colocar o dispositivo em outro corpo que já nasce adulto e pode ser o seu antigo corpo, ou se você for rico, e preferir, pode ser qualquer corpo. Ah, obviamente, pessoas pobres não possuem privilégios de trocas de corpos né? As vezes te colocam em qualquer corpo, isso se você tem dinheiro pra ser colocado em algum corpo né minha filha? No futuro existe pobreza! - Pensamento: Quando que isso vai acabar meu Deus??? Quero ser ryckah!
A única forma de morrer mesmo é destruindo este o dispositivo o que apagará sua existência definitivamente.
Daí a gente tem um mercenário japonês que é morto e 250 depois é trago a vida para solucionar o assassinato de um figurão. O tal mercenário é o cara que faz o militar que controla o ‘Esquadrão Suicida’ o loirão, o cara que namora a bruxa que rebola o filme inteiro – gosta de fazer produção ruim em fio.   
Sabemos o que é a série agora? Sabemos! Vou começar a criticar porquê não sou obrigado a gostar de nadaaa!
O roteiro é fraco gente. Se você tá procurando uma produção pra ver alguém concorrendo ao Emmy, tire seu cavalinho da chuva. É serie blockbusterzinha de tiro e efeitos especiais, com história de hiper ficção científica, carros voando, humanos de quase 400 anos morando em outro planetas e literalmente acima das nuvens. Tudo muito clichê, muito já vi isso antes, isso foi inspirado naquilo etc. Os efeitos são bons, mas é só isso mesmo.
Tenho uma leve impressão que a série é meio que feita para geeks homens, principalmente.  
Particularmente, não aguentei assistir até o fim o 2º episódio.
  

Thiago Moura

Nenhum comentário:

Postar um comentário