31 outubro 2017

Aluga-se um noivo - Clara de Assis



O livro em questão Aluga-se um noivo da autora Clara de Assis lançado pela Editora Charme foi uma das minhas mil aquisições da bienal desse ano.


Vou começar falando que todo mundo devia ter uma parceira de crime como a personagem Carol do livro, ela e aquela amiga para todas as horas, que coloca a cara no sol e que se joga com você e por você em qualquer situação, ela e do tipo que topa jogar bunda a vanço só para fazer companhia a sua amiga em dias ruins seja na alegria ou na tristeza até que a morte os separe só para variar um pouco eu amei essa personagem secundária da trama já quero um livro só para ele.



Theo e um homão da porra viu, lindo, educado,cheiroso e um verdadeiro lord ele deveria andar com uma placa no pescoço escrito TDB de tão incrível que ele e, meio mentiroso haha mais perdoável.



17 outubro 2017

Enlaçados - Anne Krauze



Em terra de livros em série, quem escreve livro único é rei ou no caso rainha hahaha.

Enlaçados é um livrão em todos os sentidos. Não só por ele ser muito bem escrito e construído, mas também por suas 800 páginas, ufa! Isso mesmo que você leu: 800 páginas são páginas pra K@%$#W minha filha! Eu, que me considero uma leitora rápida, confesso que demorei um pouco para terminar a leitura e meu povo e minha pova, a Anninha está ficando velha e não aguenta mais ficar horas e horas lendo no kindle... #VelhaCoroca

Gente, eu me imaginei muito em um show da minha nova banda favorita e não é aquela que canta só da tuuuuu... é a Ultimate Bet. Que a Eve não me escute, ou melhor que ela e a sua criadora M.S Fayer me escutem e façam um dueto no Grammy entre Ultimate Bet e Danger Rock: as melhores bandas da literatura nacional lidas até hoje, por mim: Anninha do teretetê.

13 outubro 2017

Dia Mundial do Escritor


Feliz dia mundial dos escritores!
Bando de filhos da puta que nos fazem rir e chorar ao mesmo tempo, querer sempre ler mais um capítulo, ler até de madrugada suas pestinhas amamos vocês nosso muito obrigada 💜 Sem vocês não somos nada.


O que difere o escritor do resto dos profissionais? Ao contrário do que muitos pensam, não é apenas a necessidade incontrolável de escrever ou a vontade crescente de transformar folhas rabiscadas em retratos magníficos do cotidiano. Não é só isso!
O escritor não é somente o ser que, sem saber como continuar com os olhos na estrada e sem conseguir manter a cabeça no mundo real, precisa, com urgência, parar o carro no acostamento para iniciar um novo texto. Para ser escritor de verdade, não basta sair do banho sem tirar o xampu da cabeça, só para em algum lugar, em qualquer lugar – até no papel higiênico – , escrever alguma frase que, na imensa maioria das vezes, não vira nem citação de Facebook. Para ser um escritor genuíno você precisa de mais. E, não se engane, pois aceitar o risco de morrer pobre e muito feliz não é suficiente para se tornar um.