08 março 2017

A Rosa Branca - Amy Ewing


No livro A Joia, primeiro volume da série “A Cidade Solitária”, Violet Lasting é comprada por uma das mulheres mais poderosas da realeza, a Duquesa do Lago, e vai viver com ela na Joia, o círculo onde mora toda a nobreza. Agora, Violet tem de fugir da Joia, do círculo nobre da Cidade Solitária para salvar a própria vida e a do seu amor, Ash. Junto com seu amado e Raven, sua melhor amiga, Violet tenta se libertar da terrível vida de servidão e crueldade. Só que ninguém disse que deixar a Joia seria fácil, e ela terá que passar por grandes obstáculos. No meio disso tudo, a jovem ainda descobre que há uma revolução sendo planejada contra a realeza e que seu papel nisso é fundamental. É hora de Violet descobrir que é muito mais poderosa do que sempre imaginou!


A Rosa Branca é um livro que deu continuação a série de maneira exemplar, apresentando fatos e personagens, bem como cenas incríveis e até mesmo chocantes em alguns momentos. Vale dizer que nesta continuação nos deparamos com estratégias, jogos de interesse e o muito romance.

Contudo, é interessante dizer que o romance entre Violet e Ash, por mais que esteja presente no livro, não é exagerado e não rouba a cena dos demais elementos da história.
Honestamente, Amy me surpreendeu ainda mais com o livro e claramente me conquistou para sua legião de fãs. Um livro extremamente bem escrito e desenvolvido e, obviamente, uma indicação de distopia imperdível.
Continuação de A Joia, livro que me surpreendeu, A Rosa Branca irá narrar a trajetória de Violet Lasting após o impactante fim do primeiro livro. A sequência da série me veio como uma confirmação do quão realmente incrível Amy Ewing é, amo mocinha sem mimimi, determinadas e que vão a luta.
Após ter sido comprada em um leilão para ser a substituta de uma duquesa e, assim, gerar o filho de sua nova senhora, Violet Lasting descobre que os horrores da vida com a nobreza são ainda piores do que imaginava. Contudo, é lá que ela conhece seu grande amor e faz um amigo indispensável que promete sua liberdade da vida de servidão e enxerga um futuro importante em seu caminho.
Em A Rosa Branca, descobrimos junto com Violet que o futuro realmente reserva o que ela não era capaz de esperar. Com uma ajuda inesperada, ela busca salvar a própria vida fora do círculo da Joia e, nessa luta pela sobrevivência, acaba descobrindo muito mais. A cruel vida de servidão à realeza nos outros círculos é tão horrível quanto ela pensava, mas não é a única com sede de vingança pelas injustiças. Violet também conhece a existência de uma sociedade secreta antigovernamental, que busca, com unhas e dentes, justiça para seu povo e o fim da vida de súditos-escravos.
Além disso, a vida fora da Joia revela segredos sobre o passado da Cidade Solitária, bem como de seus antepassados e uma intensa ligação com eles. Tal ligação irá se mostrar indispensável na revolução que está apenas começando.
Ouso dizer que o grande foco neste segundo livro foram as descobertas feitas fora do círculo da Joia, tanto referentes à sociedade atual, quanto com o passado da cidade e das origens dela. Enfim, é uma continuação que realmente deu explicação para todos os acontecimentos e costumes dessa sociedade distópica, bem como apresentou realidades que serão desenvolvidas no próximo volume naquele jeitinho especial de Amy: deixando você simplesmente louco pelo próximo volume.
Por enquanto, eu mais que recomendo a trilogia da Cidade Solitária aos amantes do gênero. São livros surpreendentes e chocantes em alguns aspectos, mas que realmente irão prender o leitor até a última página.
Eu estou ansiosa pela leitura do fim da série.



Nenhum comentário:

Postar um comentário