13 fevereiro 2017

Alfa com orgulho!

Olá amores Alfas!!





Completamos 8 meses de mundo literário, obaaaa... Mas temos algo importante para conversar!!

O Alfas Literárias nasceu de um sonho: Disseminar nosso amor pela leitura. E como faríamos isso? Divulgando e compartilhando o prazer da literatura em geral, mas principalmente a nacional. Então, com isso em mente, criamos nosso Blog. Sempre visamos ter um espaço leve e descontraído, em que nossas opiniões e sugestões fossem apreciadas pelos leitores e também pelos autores. Prezamos pela transparência e acima de tudo, respeitamos as diferenças.
O Alfa propõe um encontro de almas, que fazem da leitura, um prazer em meio ao caos do dia a dia.
E foi assim que chegamos a esses primeiros oito meses de existência. Neste pequeno espaço de tempo já conquistamos amizades para a vida e participamos de encontros e eventos literários maravilhosos. Agradecemos aos leitores, autores, Blogs e editoras que nos proporcionam esses momentos mágicos. 

06 fevereiro 2017

Poder extra G



Autora: Thati Machado
Editora – Astral Cultural
240 páginas

05 fevereiro 2017

Trilogia religiosa






Quando pensamos na religião, logo vem a nossa mente aquilo que se relaciona a diversos tipos de religiões, ou seja, católico, espírita, evangélico, mulçumanos, budistas entre outras. Todas as religiões tem como propósito o contato com o sobrenatural quer seja ele Deus, espíritos ou forças ocultas. Dentro de cada ser humano há uma necessidade de se relacionar com o sobrenatural gerando assim a busca por uma determinada religião, mesmo que muitos optam em não praticar, mesmo assim essa necessidade esta latente.
A religião no seu significado: "A religião deriva do termo latim religare >implicando religação com o divino, definição que abrange quaisquer doutrinas ou formas de pensamentos metafísicos." , sendo assim o propósito dela é ligar novamente o homem a Deus. Não foi Deus que criou a religião, mas sim o próprio ser criado pela necessidade de encontrar respostas para as suas indagações mais profundas, de onde vim, qual o meu papel aqui e para onde vou? Sabemos que o homem caído se afastou de Deus, mas dentro de si sente que precisa voltar-se para Deus e busca isso através das religiões. Pensam que fazendo parte de uma religião e participando de uma reunião, ritual ou mantra já estão em contato com Deus.
A religião deveria cumprir o seu verdadeiro papel de levar o homem de volta a Deus, mas o que se percebe ela faz um desfavor afastando ainda mais o homem do verdadeiro Deus e o pior é que muitos nem sabem o quanto estão longe. Por mais bonito e “espiritual” que pareça em seus ritos, cultos, mantras e encontros às religiões só tem trazido “benefícios” para seus lideres que estão enganados e ainda arrastam uma multidão para longe de Deus e os levam para perto da condenação eterna.
Quero analisar nesta série de mensagens alguns textos bíblicos que mostram claramente como Jesus tratou a questão da religião da sua época e como nós devemos lidar com a religião em nosso tempo. Na época de Jesus existiam muitos grupos religiosos entre eles estavam talvez o grupo que mais levava a sério a religião, os fariseus. Os fariseus seguiam rigorosamente a Lei de Moisés e mantinham as tradições e os costumes dos antepassados. Várias vezes, Jesus os criticou severamente, pois davam mais valor às suas tradições do que às leis de Deus (ver Mt 23.23). Mas havia fariseus, como Nicodemos, que ouviam Jesus com gosto (Jo 3.1-20; 7.50-51; 19.39-40). O apóstolo Paulo foi criado fariseu (At 23.6, 26.4-5; Fp 3.5-6). Estamos em pleno século 21 já passados mais de 2.000 anos e ainda assim a religião tem sito alvo de conflitos em todo o mundo, podemos dizer que o homeme é um ser religioso, mas distante de Deus. A religião te afasta de Deus, mas Jesus te aproxima de Deus - Até a próxima mensagem.




03 fevereiro 2017

Clichê







Sinopse:

Marina Duarte está no vermelho. Dona de dupla graduação nas melhores faculdades públicas do Rio de Janeiro, seu sonho de construir a vida nos States não está funcionando.
Decidiu se mudar para ficar perto da tia, sua única família, mas a crise não está ajudando em nada sua carreira.
Sem saber como pagar as contas do próximo mês, Marina aceita uma vaga de babá na mansão da família Manning. Ela só não podia imaginar que sua vida mudaria completamente, apenas por conhecer duas crianças e um chefe viúvo – e gato, maravilhoso, cheiroso e gostoso –, que precisa urgentemente de sua ajuda.


Não tem aquele livro que você compra pela capa? Esse não foi o caso com clichê. Admito que comprei o livro pela caneca. Eu estava em um evento e por um acaso ganhei a caneca do livro em um sorteio e achei um absurdo ter a caneca e nunca ter lido o livro e acabei comprando o livro e juro para vocês não me arrependo nem um pouco dessa decisão.

O livro conta a história da Mari uma brasileira azarada, que depois se torna sortuda, e que toca mais instrumentos que o meu marido (meu esposo toca 5). Com uma pegada de filme da sessão da tarde a autora vai contando sobre as dificuldades que nossa protagonista enfrenta antes de aceitar um emprego da mansão Manning como babá. Recomendada pela tia Mari chega na mansão com muitas contas para pagar, sem celular e desesperada.

Dentro da mansão ela dá de cara com ninguém mais ninguém menos que Killian Manning dono de um belo corpo, um coração partido e pai de duas adoráveis crianças este viúvo é o patrão de Mari e tudo o que ele deseja é uma pessoa que possa tomar conta de seus pequenos e também os ajudar a superar o trauma de ter perdido sua mãe.

O entrosamento entre o casal principal é perfeito e a autora apresenta cada tema tratado no livro com uma levesa sem tamanho. Você se pega a todo tempo torcendo por Mari e Killian, querendo bater no vilão, chorando com as crianças e sorrindo também.


Clichê é o tipo de livro que até mesmo o vilão faz você se apaixonar. Coloquei ele no lugar da minha prateleira dos livros que lerei de novo. Esse é o livro ideal para o fim de uma tarde cansativa ou um dia estressante de trabalho.

Clichê é o livro perfeito para o fim de uma tarde cansativa ou depois de um dia de trabalho.

Esse está na minha lista de: Lerei de novo e se reclamar leio mais uma vez.

Beijo matilha Alfa e até a nossa próxima dica.



#AlfasLiterarias #EuLeioNacional #LerEditorial #Clichê #ChickLit

Dica dada pela autora Kelly Teixeira "A Rainha do Drama"








Wicked - Gregory Maguire


Sinopse:
Você nunca mais vai enxergar Oz da mesma forma. Quando Dorothy se vê diante do desafio de derrotar a Bruxa Má do Oeste, no clássico Mágico de Oz, vemos a história se desenrolando pelo lado da heroína. Mas e a história de sua arqui-inimiga, a misteriosa bruxa? De onde ela surgiu? Como se tornou tão perversa? Em Wicked, Gregory Maguire revela tudo isso por meio de um mundo fantástico tão rico e intenso que você nunca mais vai olhar para Oz da mesma forma. Viajando por uma terra encantada, descobrimos todos os detalhes da história dessa garota de pele verde que cresce em meio a desafios e preconceitos, até se tornar uma bruxa infame – uma esperta, irritadiça e incompreendida criatura que desafia todas as noções sobre a natureza do bem e do mal. Recriando com riqueza espantosa o mundo de Oz, este livro conduz o leitor à inesquecível estrada de tijolos amarelos, atravessando um mundo fantástico repleto de conflitos e transformando de maneira surpreendente a reputação de um dos mais sinistros personagens da história da literatura. Público-alvo: Leitores de fantasia, fãs de O mágico de Oz, espectadores do musical de mesmo nome que está em cartaz em São Paulo até julho de 2016.