15 dezembro 2016

Orgulho e Preconceito

Hoje venho falar de ORGULHO E PRECONCEITO, ou mais precisamente de PRIMEIRAS IMPRESSÕES da LAÍS RODRIGUES.


Nós que somos as esquisitonas; diferentonas; viciadas em livros, estamos sempre em movimento. Comparecendo a eventos literários e tardes/noites de autógrafos. Com tudo isso, conhecemos inúmeras pessoas e inúmeros livros. Alguns apenas passam, outros vêm e ficam.
Com certeza um livro que vai ficar em minha mente e em meu coração é PRIMEIRAS IMPRESSÕES da Laís Rodrigues. Uma gratíssima surpresa num ano tão conturbado. Com tantas surpresas negativas, surpreendo-me com uma deliciosa e competentíssima releitura de “Orgulho e Preconceito”, o clássico de Jane Austen.
Todo amante do bom romance, já “leu”; nem que sejam as adaptações televisivas, cinematográficas e/ou em formato grafic novel; do romance impactante desta inglesa, que soube com muita habilidade, descrever a sociedade inglesa do séc. XIX.





Laís adaptou um romance, cultuado até hoje como obra prima, para o séc. XXI com muita maestria; além de uma sensibilidade ímpar e logicamente, uma competência estudiosa.
Assim como Jane Austen teve a coragem de despir seus personagens ao público leitor, Laís foi tão ou mais corajosa, ao preservar as características de cada personagem de Jane, sem esquecer nenhum deles; nem mesmo os que aparecem em uma ou duas cenas no original inglês.
A sequência dos fatos é perfeita; ocorrem limpamente num tempo/espaço atual, sem que sintamos falta dos momentos de sublime contemplação das paisagens naturais e/ou artificiais.
Laís preservou os nomes dos personagens, mas modificou sua ambientação e nacionalidades.
A família Bennet e todos os agregados (amigos, tios, primos...) são Brasileiros e a parte inicial da trama se passa na paradisíaca Búzios, cidade do litoral Fluminense que encantou e ainda encanta estrangeiros.
Já do lado Darcy, Bingley, Wickham e agregados, são Note Americanos, e a trama passeia por Washington, Nova Iorque e Boston, mas virtualmente sempre voltando a Búzios.




As características e a essência dos personagens são delicadamente preservadas. O Sr. Darcy de Laís é um político americano arrogante e prepotente de Boston. Lizzie é a carioca, filha de baianos, sarcástica e brilhantemente inteligente, com uma bolsa de mestrado em literatura, também na cidade de Boston, além de gerenciar a loja de cultura geek do tio.
Os romances seguem o mesmo parâmetro imposto por Jane Austen: o vai e vem de Jane e Charles, contra a fuga extenuante de Liz e Fred. Até a inconsequente e espevitada Lídia, vai aprontar todas as “barbaridades” típicas da adolescente do séc. XXI.
O romance apresenta-se em duas versões:
O blog da Laís está nesse endereço: http://www.lrdo.com.br/o-blog/
Primeiras Impressões só vêm mostrar que o romance entre Lizzie e Darcy é atemporal e que em quaisquer dos seus formatos é apaixonante.
O amor é atemporal; atravessa todas as barreiras do orgulho e do preconceito. Permita-se apaixonar também por esse casal imortal.
P.S.: Também não deixe de conferir a Grafic Novel da editora Nemo; a versão clássica para o cinema; a moderninha versão Zumbi; e a mais antiga versão televisiva.



Fabíola Andrade

Nenhum comentário:

Postar um comentário